Política

Lula diz que novo PGR será ‘alguém que não faça denúncia falsa’

Durante a transmissão ao vivo em suas redes sociais na manhã desta terça-feira (1º) o presidente da república Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que a escolha do novo procurador-geral da República é “problema dele” e que ouvirá pessoas de sua confiança para definir o sucessor de Augusto Aras.

Em ocasiões anteriores, Lula enfatizou que não pretende observar critérios tradicionais, como a lista tríplice elaborada pela cúpula do Ministério Público Federal e enviada ao Palácio do Planalto. “Vou escolher com mais critério, com mais pente fino para não cometer um erro. Não quero escolher alguém que seja amigo do Lula”, começou.

“Eu quero escolher Alguém que seja amigo desde país, alguém que goste desse país, alguém que não faça denúncia falsa”, pontuou o presidente do Brasil. Desde a época em que foi preso como desdobramento da operação Lava Jato em processos hoje anulados pelo Supremo Tribunal Federal (STF), o chefe do Executivo passou a criticar a atuação do Ministério Público, da PGR e de alguns membros do Judiciário.

Entre eles, o ex-juiz Sergio Moro ( hoje, senador pelo Podemos-PR) e o ex-procurador Deltan Dallagnol (que se elegeu deputado, mas foi cassado). “As pessoas já estão preocupadas com Procuradoria-Geral da República, com novo membro da Suprema Corte. Ninguém nesse país tem mais experiência de escolher procurador do que eu, já escolhi três”, afirmou Lula.

“Vou escolher no momento certo, na hora certa, vou ouvir muita gente. […] Vou discutir se é homem, se é mulher, se é preto, se é branco. Tudo isso é um problema meu, que tá dentro da minha cabeça. E quando eu tiver um nome, eu indico, simples assim”, complementou o presidente. Lula ainda não tem um nome favorito para suceder Aras e pode, inclusive, usar a regra que prevê um “PGR interino” para ganhar tempo até a decisão.

Segundo Lula, FMI vai errar previsões para o país

Ainda durante a transmissão realizada nesta terça-feira Lula também afirmou que o Fundo Monetário Internacional (FMI), uma das principais instituições financeiras do planeta, vai “errar todas as afirmações” sobre as perspectivas de crescimento do Brasil.

Desde que assumiu o governo neste ano, Lula tem afirmado que o país tem condições de crescer acima do patamar médio de 2% ao ano previsto para os próximos anos, ritmo similar ao desempenho da economia nas últimas décadas.

“As pessoas vão se surpreender com o Brasil. O FMI vai errar todas as afirmações sobre o PIB, não vão dar certo. Porque o Brasil vai crescer de forma sólida, de forma confiável. E mais importante que só crescer, vamos fazer um crescimento distributivo”, afirmou Lula.


Descubra mais sobre N10 Notícias

Subscribe to get the latest posts sent to your email.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo