Mundo

Pobreza nos Estados Unidos aumenta e atinge cerca de 12,4% dos habitantes

No ano de 2022, a pobreza nos Estados Unidos (EUA) teve uma alta de extrema relevância, segundo informações apresentadas através do Departamento do Censo. A taxa chamada SPM (Medida de pobreza suplementar) subiu e passou a atingir 12,4% da população, ante 7,8% em 2021, mostram números divulgados nesta terça-feira (12).

A pobreza entre as crianças mais do que dobrou e passou de 5,2% para 12,4%. A situação no país como um todo piorou pela primeira vez desde 2010. Além da renda o indicador SPM (Medida de Pobreza Suplementar)leva em consideração os fatores como diferenças regionais do custo de vida, gastos com remédios e pagamento de impostos, e é usada para a aplicação de programas sociais nos Estados Unidos.

No geral, uma família é considerada pobre nos Estados Unidos se vive em uma casa alugada, com quatro pessoas e tem renda menor do que US$ 34.518 por ano. A inflação no país, que aumentou o custo de vida, também elevou a linha de pobreza: em 2021, o valor desse indicador era de US$ 31.453 anuais.

De acordo com o Departamento do Censo, o aumento da pobreza tem duas razões principais: o fim dos auxílios para as famílias pobres que foram adotados durante a pandemia e a alta do custo de vida, que também veio na esteira da crise da Covid. Houve ainda um terceiro fator: a renda média das famílias, considerando todas as classes sociais, caiu 2,3% em 2022, para US$ 74.580 anuais.

Ao comentar sobre os dados que foram divulgados, a Casa Branca afirmou que os números iniciais de 2023 apontam melhora, pois a inflação vem caindo e o nível de renda das famílias está subindo. Ao mesmo tempo, aponta que a pobreza havia caído muito em 2021 por conta de novos programas de auxílio para crianças pequenas, que não foram renovados pelo Congresso.


Descubra mais sobre N10 Notícias

Assine para receber os posts mais recentes por e-mail.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo