Mundo
Tendência

Terroristas atacam igrejas e sinagogas em duas cidades da Rússia

Ataques coordenados em Dagestão matam seis policiais e um sacerdote, incendiam sinagogas e igrejas; autoridades russas em operação contraterrorista continuam caçada aos agressores.

Em um domingo (23) marcado por violência e tensão, cidades no sul da Rússia foram alvo de ataques coordenados contra locais de culto e autoridades policiais. Pelo menos seis policiais e um sacerdote ortodoxo foram mortos, e mais de uma dúzia de pessoas ficaram feridas durante operações de contraterrorismo nas cidades de Derbent e Makhachkala, na república de Dagestão.

A violência começou com ataques a uma sinagoga e a uma igreja ortodoxa em Derbent, seguidos por ataques a outra igreja e a uma estação de polícia na capital estadual, Makhachkala. As forças de segurança russas responderam imediatamente, resultando na morte de quatro militantes em Derbent e outros dois em Makhachkala, conforme relatado pelo Comitê Nacional Antiterrorismo da Rússia (NAC).

Detalhes dos ataques e vítimas

Durante os ataques, um sacerdote ortodoxo e vários policiais foram mortos. A mídia estatal identificou o sacerdote como Nikolai Kotelnikoy, de 66 anos, que serviu na igreja de Derbent por mais de 40 anos. Em Derbent, um oficial da Guarda Nacional Russa foi morto e 12 outros ficaram feridos.

A NAC declarou que a fase ativa da operação contraterrorista em Derbent foi concluída, mas os confrontos continuaram em Makhachkala. A sinagoga e a igreja de Derbent foram incendiadas, com Boruch Gorin, presidente do conselho público da Federação das Comunidades Judaicas da Rússia, relatando que não foi possível extinguir o fogo na sinagoga.

Derbent, lar de uma antiga comunidade judaica, possui uma sinagoga listada como Patrimônio Mundial da UNESCO. Embora se acredite que não havia fiéis nas sinagogas, as igrejas estariam ocupadas com fiéis celebrando o feriado de Pentecostes.

Em Makhachkala, desconhecidos atacaram uma sinagoga, deixando inscrições na porta que remetem ao Alcorão. Dezenove pessoas buscaram refúgio dentro de uma igreja enquanto forças de segurança enfrentavam os atacantes do lado de fora. Estas pessoas não foram feitas reféns e estavam seguras após a área ser assegurada pelas autoridades.

As autoridades estão em uma caçada para capturar os agressores restantes. A polícia de Makhachkala pediu aos residentes que evitassem certas áreas e a estação ferroviária para não atrapalhar as operações policiais. Confrontos armados foram relatados em ambas as cidades e na vila de Sergokala, onde um oficial foi ferido por tiros em um carro policial.

A polícia russa bloqueou as saídas de Makhachkala para evitar que cúmplices dos atacantes escapassem. O chefe do distrito de Sergokala foi detido sob suspeita de envolvimento de seus filhos nos ataques.

Nenhuma organização reivindicou a responsabilidade pelos ataques, mas Dagestão é conhecida por ser um foco de militantes islâmicos. Fontes da lei afirmaram que os agressores são “apoiadores de uma organização terrorista internacional”. Autoridades locais, no entanto, apontaram dedos em diferentes direções, com o governador de Dagestão, Sergei Melikov, classificando o ataque como uma tentativa de desestabilizar a região, e o presidente da Chechênia, Ramzan Kadyrov, chamando-o de provocação para causar discórdia entre confissões.

Um legislador de Dagestão, Abdulkhakim Gadzhiyev, acusou a Ucrânia e o Ocidente de estarem por trás dos ataques, uma alegação ainda não comprovada. Historicamente, Dagestão tem sido um desafio para as autoridades russas devido à presença de militantes islâmicos.

A investigação dos ataques está em andamento, com o Comitê de Investigação da Rússia abrindo um caso penal por suspeitas de terrorismo. O patriarca Kirill de Moscou expressou pesar pelas vítimas e pediu a repressão de qualquer tentativa de hostilidade interétnica e radicalização religiosa.


Descubra mais sobre N10 Notícias

Subscribe to get the latest posts sent to your email.

Romário Nicácio

Administrador de redes, estudante de Ciências e Tecnologia (C&T) e Jornalismo, que também atua como redator de sites desde 2009. Co-fundador do Portal N10 e do N10 Entretenimento, com um amplo conhecimento em diversas áreas. Com uma vasta experiência em redação, já contribuí para diversos sites de temas variados, incluindo o Notícias da TV Brasileira (NTB) e o Blog Psafe. Sua paixão por tecnologia, ciência e jornalismo o levou a buscar conhecimentos nas áreas, com o objetivo de se tornar um profissional cada vez mais completo. Como co-fundador do Portal N10 e do N10 Entretenimento, tenho a oportunidade de explorar ainda mais minhas habilidades e se destacar no mercado, como um profissional dedicado e comprometido com a entrega de conteúdo de qualidade aos seus leitores. Para entrar em contato comigo, envie um e-mail para romario@oportaln10.com.br.

Deixe uma resposta

Botão Voltar ao topo