Política

Flávio Dino afirma que não irá fechar clubes de tiros, mas sim regulamentar e fiscalizar

Durante a manhã desta quarta-feira (26) o ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino afirmou que o presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está “preocupado” com os clubes de tiros que não cumprem a lei e praticam atividades ilegais.

De acordo com ele a ideia do governo não é acabar com os estabelecimentos, mas que pretende regulamentar e fiscalizar o quanto antes. “Os clubes de tiros cresceram nos últimos anos sem nenhuma regulamentação. Então, você tem clubes de tiros sérios, que de fato se dedicam à atividade esportiva”, começou.

“Infelizmente, na ausência de fiscalização, por trás de atividades legais, se implantaram atividades criminosas. Desviando armas, vendendo armas. Para quem? Quadrilhas”, afirmou o ministro. Ainda segundo Flávio Dino, alguns clubes de tiros ajudam os criminosos com o fornecimento de armas.

“Tem gente que diz que compra arma porque é caçador e, na verdade, aluga arma para facção. Toda semana saem notícias disso”, declarou o ministro. Na última terça-feira (25), Lula enfatizou que pediu a Dino o fechamento dos clubes de tiros no país, que proliferaram durante o governo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL).

O chefe do Executivo não comentou sobre problemas de regulamentação, apenas declarou que a população brasileira não precisa se armar porque não há preparação para “uma revolução”. “Não acho que o empresário que tem lugar para praticar tiro seja empresário. Sinceramente não acho. Já disse para Dino que temos que fechar quase todos e deixar aberto aqueles que são da Polícia Militar, do Exército e da Polícia Civil”, começou.

“É organização policial que tem que ter lugar para treinar tiro. Não é a sociedade brasileira. Não estamos preparando uma revolução. Eles tentaram preparar um golpe”, pontuou o presidente.

Flávio Dino lamenta críticas ao PAS

Ainda nesta quarta-feira (26) Flávio Dino afirmou lamentar quem critica as novas regras estabelecidas pelo governo. “Tem muita gente reclamando, eu lamento. Existe liberdade em matar, liberdade em cometer crime, liberdade em fraudar, em desviar arma? Que liberdade é essa?”, indagou o ministro.

Isso porque, na última sexta-feira (21) o governo lançou o PAS (Programa de Ação na Segurança), elaborado pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. O programa tem como objetivo estabelecer mudanças em relação ao controle de armas e segurança nas escolas, além de estabelecer o pacote da democracia, que propõe punições para crimes contra a democracia.

O texto faz limitações ao que foi estabelecido no governo Bolsonaro. O novo decreto estabelece uma redução significativa nas permissões de uso e compra de armas para CACs (Caçadores, Atiradores e Colecionadores).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo